OPINIÃO: O incêndio, a mente desocupada dos desonestos e a solidariedade do povo

Na tarde desta sexta-feira, dia 27 de julho, a cidade de Lagoa Seca assistiu assustada a ocorrência de uma verdadeira tragédia que foi o incêndio que destruiu parcialmente a estrutura de um dos supermercados do empresário José Tadeu Sales de Luna, conhecido popularmente como ‘Tadeu do Supermercado’, que é também candidato a prefeito da cidade pelo Partido Social Cristão (PSC).
Muitas foram as pessoas que saíram de suas casas. Algumas queriam apenas ver o que estava acontecendo, outras, mesmo com as suas limitações ficavam inquietas para, de alguma forma, também ajudar a controlar o fogo que destruiu praticamente todo o depósito de mercadorias e por muito pouco, não acabou atingindo as residências mais próximas ao estabelecimento.
No entanto, um fato desta natureza não pode, em hipótese alguma – pelo menos neste momento, já que um laudo do Corpo de Bombeiros ainda definirá as reais causas do incêndio – ser interpretado e/ou analisado dentro de uma esfera de disputa político/eleitoral.
Mas, como em Lagoa Seca existe gente pra tudo, quero apenas citar alguns casos que flagrei ontem que me deixaram verdadeiramente assustado. Pessoas que talvez não entendem o valor da amizade e do respeito e que acreditam que podem ‘plantar o ódio’ e colher bons resultados.
Assim que cheguei no local da tragédia sequer o Corpo de Bombeiros estava no supermercado, mas algumas pessoas já começavam a ‘analisar’ o fato. 
Fiz questão de ir bem próximo a um cidadão (se é que posso chamá-lo assim) que é bastante conhecido na cidade por sua postura leviana e que já tentava macular, nas pessoas que estavam ao seu redor, a hipótese do incêndio ter sido proposital, ou seja, de alguma pessoa vinculada ao bloco político contrário ao do empresário ter sido responsável pela situação.
Ele até que tentou, mas algumas dessas pessoas que estavam ao seu redor foram tão secas na resposta que o ‘cidadão’ ficou até encabulado. Uma mulher olhou pra ele e disse: “Ao invés de conversar besteira, vai pegar um balde com água e ajuda apagar o fogo. Você é um desocupado”, talvez esta jovem dona de casa tenha sintetizado o sentimento de muitos outros que ali estavam e que a coragem lhes faltava.
Um outro rapaz, foi ainda mais longe na interpretação do fato. Vinculado ao bloco político de situação ele chegou a afirmar que o incêndio teria sido provocado pelo próprio empresário. “Essa merda tem seguro. Ele mesmo colocou fogo pra que o povo tenha pena e vote nele” frisou em alto e bom som, um jovem bastante também conhecido na cidade, mas badernas que promove, em frente ao muro da residência de Enivaldo Ribeiro, onde dezenas de pessoas observavam o incêndio.
Analisando essas duas situações, nós, como formadores de opinião, não podemos tomar outra atitude a não ser a de lamentar. 
Primeiro, lamentar o fato por si só, que teve realmente características de uma verdadeira tragédia. Temos que nos solidarizar com o homem, trabalhador e empresário Tadeu do Supermercado e toda sua família. A sua esposa Jó e seus dois filhos e passaram (e ainda estão passando) por momentos de aflição desde ocorrido. E também todos os funcionários do comércio. Percebíamos o quão grande era a aflição e o desespero de todos.
Segundo, lamentar e repudiar a existência de mentes maléficas como estas duas que citamos (existiam várias outras no local), que são capazes de usar as mais diversas estratégias para tentar denegrir e banalizar a condição humana das pessoas. É revoltante saber, que apenas por diferenças partidárias, ainda tem gente que chega a achar ‘legal’ uma ocorrência como esta.
Quero publicizar aqui meu repúdio a todos esses cidadãos. Talvez eles tenham esquecido que não é atoa que o planeta é redondo… É pelo simples fato de que aquilo que você faz ou deseja para seu irmão, um dia, se voltará contra você. (Esta análise até a Bíblia Sagrada trás).
Em meio a esses ‘urubus’ e falsos moralistas – alguns deles, que se intitulam até lideranças, mas nunca conseguiram sequer um mandato eletivo – o que nos deixa feliz é saber que nosso povo é solidário e que a grande maioria quis ajudar.
Aqui, quero parabenizar o trabalho dos homens do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal que juntos, trabalharam durante mais de duas horas no local, mas, quem está realmente de parabéns é o povo livre, humilde, honesto e trabalhador de Lagoa Seca. Aqueles que foram para o supermercado na tentativa de serem úteis. Os trabalhadores dos carros-pipa da cidade, que deixaram de ganhar o seu sofrido dinheiro, para ajudar. Aqueles que de forma independente manifestaram sua solidariedade em todos os sentidos.
Este é o povo de Lagoa Seca: capaz de superar os desafios e vencer as contradições. Gente que não se curva diante dos desafios e que faz valer o sentimento da amizade, do caráter e da solidariedade seja nas ruas, nas redes sociais ou até no silêncio de uma oração.
Afinal, a disputa política passa e os amigos, ficam!

Valeu Lagoa Seca, é por isso que me orgulho desta terra!

Márcio Rangel
jornalista e radialista
Selecionamos para você