Três principais clubes da Paraíba sofrem com problemas políticos na temporada 2018

0
101

Poucas vezes o cenário político no futebol da Paraíba ficou tão agitado como nesse ano de 2018. Em alguns casos por conta das investigações da Operação Cartola, em outros por conta de divergências internas, os três principais clubes do estado – Botafogo-PB, Campinense e Treze – viveram momentos de instabilidade em seus cenários políticos, inclusive com mudanças nos cargos de presidente nos três clubes.

As situações de Belo e Raposa foram as que sofreram influência direta das investigações que apuram a formação de um suposto esquema criminoso para manipular resultados no futebol do estado. Após acolhimento das denúncias por parte da Justiça, foi determinado o afastamento dos cargos de Zezinho Botafogo e William Simões, que ocupavam a presidência do Botafogo-PB e Campinense, respectivamente. No Belo, a situação foi resolvida com a convocação das eleições que já estavam previstas para este ano e a posterior posse de Sérgio Meira, que fica no comando administrativo do clube pelo biênio 2019/2020.

Já o Campinense vive um pequeno caos em seu cenário político. Após o afastamento de William Simões por decisão judicial, o vice-presidente Félix Braz foi elevado à presidência do clube, mas acabou surpreendendo nesta terça-feira ao entregar uma carta em que renunciava ao cargo, abrindo caminho para que Antonino Macedo, presidente do Conselho Deliberativo, assumisse a presidência da Raposa, sendo o terceiro a ocupar o lugar somente neste ano. Esse cenário ainda pode mudar nos próximos dias porque há uma perspectiva de que eleições para a diretoria executiva do clube sejam antecipadas e aconteçam ainda nesse ano.

Antonino Macedo é a terceira pessoa a assumir o cargo de presidente do Camipinense nesse ano — Foto: Waléria Assunção / TV Paraíba

Único dos grandes do estado a não ser citado, pelo menos até agora, nas investigações da Operação Cartola, o Treze também passa por turbulências na sua política interna. Só que no caso do Galo a confusão aconteceu por conta da disputa no Conselho Deliberativo do clube. A “confusão” se deu porque o então presidente do órgão, Emir Gurjão, acabou sendo retirado do cargo e até chegou a ser desautorizado de falar em nome do Treze por Hélio Soares Filho, que em uma eleição conturbada acabou assumindo a presidência do conselho trezeano.

A situação acabou sendo contornada, os ânimos foram acalmados e agora o Treze caminha para a realização das eleições da diretoria executiva, que acontecem na próxima terça-feira e vão definir o presidente do clube para o próximo biênio.

O Treze também passou por um clima de instabilidade durante as eleições para o Conselho Deliberativo — Foto: Reprodução / Treze

Da Redação com Globo Esporte Paraíba

Selecionamos para você