Polícia prende 12 pessoas acusadas de furtos de veículos na Paraíba e Pernambuco

0
288

A Polícia Civil cumpre, na manhã desta quarta-feira (19), 12 mandados de prisão preventiva, em bairros de João Pessoa e em uma unidade prisional de Pernambuco. A ação batizada de Operação Vulcano tem o objetivo de desarticular uma quadrilha especializada em crimes contra o patrimônio, especificamente no roubo a locadoras de veículos.

A operação é direcionada pela Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (DCCPat), de João Pessoa, e conta com mais de 50 policiais. De acordo com as investigações, todos os mandados são contra integrantes de uma quadrilha especializada na prática de crimes contra o patrimônio, envolvendo valores expressivos em roubos de veículos de locadoras.

O líder da quadrilha está preso na Delegacia de Roubos e Furtos e, conforme explica o delegado de roubos e furtos, Wagner Dorta, o suspeito roubava veículos que custavam cerca de R$ 60 mil e vendia a preços muito baixos. O valor estimado do prejuízo é de R$ 4 milhões.

De acordo com a superintendente regional de Polícia Civil, Roberta Neiva, até as 7h, sete pessoas foram presas e três carros apreendidos.

De acordo com o delegado Wagner Dorta, a quadrilha cometia vários crimes em João Pessoa, Pernambuco e Ceará, mediante fraude de veículos de locadoras.

Como funcionava o esquema

Segundo o delegado Wagner Dorta, as investigações acontecem há mais de sete meses. A quadrilha está envolvida em crimes de furto qualificado, estelionato e falsificação de documentos.

Até as 8h, sete pessoas haviam sido presas. O líder da quadrilha, Hugo José Rodrigues Arruda, de 33 anos, Bruno Henrique Rodrigues, de 31 anos, Natally dos Santos Alves, de 28 anos, Estanley Cabral, de 30 anos, Renata de Assis Targino, de 27 anos, Tiago Dantas de Sousa, de 33 anos, e um detento do presídio Cotel, em Pernambuco.

Conforme explica Wagner Dorta, o líder da organização, Hugo José, que é natural da cidade de Pombal, mas mora em João Pessoa, cooptava alguns laranjas, pagando a eles R$ 1 mil e confeccionava, por meio de fraudes, cartões de créditos para uso desses comparsas. Em seguida, os laranjas compareciam nas locadoras de veículos, retiravam os carros para locação e não devolviam. No mesmo dia, vendiam o veículo em valores de, aproximadamente, R$ 4 mil.

Os suspeitos presos vão ser interrogados e, após a polícia recolher elementos probatórios suficientes para enriquecer o inquérito judicial, eles serão encaminhados à audiência de custódia.

Função dos integrante da quadrilha

  • Hugo José: cooptava os laranjas;
  • Bruno Henrique: cooptava os laranjas e locava os veículos para venda posterior;
  • Natally dos Santos: acompanhava o laranja na locação dos veículos, se passando por namorada para dar credibilidade na hora da locação;
  • Estanley Cabral: locava os veículos;
  • Renata de Assis: participava da locação de veículos. Na casa dela, a polícia apreendeu dois veículos locados.

Redação com G1

Selecionamos para você

"