PRF investiga denúncia de participação de policial rodoviário federal em assalto

A Polícia Rodoviária Federal na Paraíba (PRF) instaurou um procedimento administrativo para investigar uma denúncia contra um policial rodoviário federal. Ele é acusado de ter tomado durante assalto à mão armada um veículo de uma mulher.

O crime teria sido praticado no último domingo (13), durante a folga do policial. Logo após o crime o policial se envolveu em um acidente de trânsito na BR 230, no município de São Miguel de Taipu, por volta das 22h30, e foi socorrido pela própria PRF.

Em nota divulgada nesta quarta-feira (16) a PRF lamenta o ocorrido, bem como os transtornos causados às vítimas e “reafirma seu compromisso de jamais aceitar desvios de conduta de qualquer dos seus servidores”.

Segundo a assessoria de comunicação da PRF, a proprietária disse que o veículo foi tomado dela em um assalto à mão armada e que o policial seria o assaltante.

Nota na íntegra da PRF sobre o caso:

APURAÇÃO DE ENVOLVIMENTO DE SERVIDOR EM FATOS NOTICIADOS

A Polícia Rodoviária Federal vem a público informar que, no final da tarde da última segunda-feira, dia 14/01/2019, recebeu a denúncia de que um dos seus servidores, em horário de folga, teria praticado um crime e logo em seguida se envolvido em um acidente de trânsito na BR 230, Município de São Miguel de Taipu, por volta das 22h30m do dia 13/01/2019.

De imediato, a Corregedoria Regional do Órgão instaurou procedimento administrativo para investigar os fatos denunciados, adotou as medidas de recolhimento da arma funcional do servidor, a qual foi encontrada no local, no dia seguinte ao acidente; o seu afastamento das funções policiais até a conclusão da apuração e notificou todos os Órgãos competentes responsáveis pela eventual investigação criminal.

Comunicamos que, embora o acidente tenha sido atendido por uma equipe da PRF, os policiais que foram ao local não tiveram qualquer contato com o condutor, que já havia sido socorrido por terceiros e por uma equipe do SAMU, não sendo identificado como policial, durante a ocorrência. Salientamos também que no decorrer do atendimento, foram realizadas consultas aos nossos sistemas que não informavam, naquele momento, qualquer restrição para o veículo.

A PRF lamenta o ocorrido, bem como os transtornos causados às vítimas, ao tempo em que reafirma seu compromisso de jamais aceitar desvios de conduta de qualquer dos seus servidores.

Os valores sólidos da Polícia Rodoviária Federal não podem ser ameaçados, razão pela qual a Corregedoria-Geral, em conjunto com as Corregedorias Regionais, tem trabalhado diuturnamente na preservação e fortalecimento dos valores e da reputação do Órgão junto à sociedade.

Da Redação com PB Hoje

Selecionamos para você