Petista apela para que não se estabeleça uma nova Operação Lava Jato na Paraíba

 

O petista Anísio Maia (PT) esperou, mas enfim chegou o dia de tomar posse do tão sonhado mandato de suplente de deputado estadual na Assembleia Legislativa. A solenidade aconteceu nesta quarta-feira (8), graças ao pedido de licença do presidente do Avante, deputado Genival Matias, e ao empenho do governador João Azevêdo, aos quais agradeceu em breve discurso feito em Plenário.

O deputado disse que assume o mandato com a mesma luta, com a mesma garra de outrora quando titular do mandato. “Mantenho os meus compromissos anteriores firmes contra o governo Bolsonaro, contra os desmandos que têm ocorrido no Brasil por conta de um governo desastroso e muito firme para apoiar o governo estadual de João Azevêdo, como fizemos com o governo de Ricardo Coutinho, e alerta para não se estabelecer na Paraíba uma nova Operação Lava Jato e lutando pela democracia representativa”, disse.

Indagado como ele avaliava os trabalhos do Ministério Público da Paraíba através da Operação Calvário, em cujas investigações foram descobertos envolvimentos de auxiliares de confiança do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) em atos de improbidade administrativa, o deputado disse que primeiro é preciso acompanhar os desdobramentos da operação, mas opinou que a Justiça e o Gaeco não podem trabalhar para o público.

Ele citou como exemplo a prisão de um vereador dentro da Câmara Municipal do Conde, ato que ele considerou absurdo e arbitrário. “Espero que a Justiça paraibana não embarque nesse barco da Lava Jato. É nisso que eu vou apostar, mas eu também vou ficar muito vigilante. Não basta apenas pegar um delator e fazer dele o que bem entende. Nós queremos um julgamento justo e sem controle político”, destacou.

 

Paraíbaonline

Selecionamos para você