Após cumprir pena por matar sua mulher na Paraíba, ex-PM integra ONG e dá palestras

Reprodução

Antônio Galdino da Silva Neto, em 1991, acabou cometendo um crime contra sua própria esposa. O ex-PM, durante uma briga, puxou uma arma e colocou contra o rosto da esposa. No entanto, a arma acabou disparando acidentalmente, segundo ele. Diante disso, acabou sendo preso.

”Tentei socorrer minha mulher, mas não consegui, fiquei desesperado. Fiquei sem saber o que fazer, eu tinha 24 anos. E aí fui para o presídio de Princesa Isabel, na fronteira com Pernambuco. Era a cidade que eu trabalhava na época. Quando eu cheguei, estavam lá pessoas que prendi, que troquei tiro. Eu estava condenado à morte”, contou ao UOL.

Após cumprir 5 anos e 21 dias, recebeu benefício da prisão semiaberta. Dessa maneira, conseguiu um emprego como segurança Assembleia Legislativa, onde conheceu Ricardo Coutinho. Os dois ficaram próximos e o ex-governador convidou Antônio para ser diretor do presídio de Sapé.

Após conhecer mais da rotina dos presos, se juntou a ONG Associação Brasileira de Ressocialização e conta sua história de vida em palestras.

*Com informações do UOL.

LEIA MAIS

Duas adolescentes e mais quatro pessoas assassinadas no RN

Selecionamos para você