STTP implanta projeto “Ciclomob” e agentes utilizarão bicicletas para ganhar mais agilidade no trânsito em CG

A Prefeitura de Campina Grande, através da gerencia de trânsito da STTP, está implantando a partir deste sábado, 07, durante o desfile cívico, a “Ciclomob”. Um projeto com uma concepção de trabalho a ser desenvolvido por uma equipe de agentes de trânsito em bicicletas, e que estarão focados na fiscalização das ciclovias e ciclofaixas, além de outros pontos específicos da cidade como faixas de pedestres.

Com o aumento do fluxo do trânsito urbano, é necessário buscar meios alternativos de transportes, por exemplo, a bicicleta. A cidade já conta com 12km de ciclovias em uso, 32km de ciclofaixas implantadas, e atualmente a prefeitura está executando mais 12km de novas ciclovias nas ruas do Complexo Aluizio Campos, perfazendo um total de 56,km de malha cicloviária.

A exemplo das grandes capitais do mundo, Campina Grande está se estruturando para receber esse meio de transporte como uma solução viável para aliviar o trânsito, contribuindo para o desenvolvimento de uma cidade mais sustentável. E neste sentido, a cidade hoje ocupa o 1º lugar em ranking de Planos de Mobilidade Urbana no Brasil

Com essa infraestrutura disponibilizada para quem utiliza bicicleta, é indispensável realizar o trabalho de orientação, educação e fiscalização de trânsito, principalmente nesses locais em especifico, promovendo a segurança viária e proporcionando assim que o trânsito torne-se fator determinante na qualidade de vida das pessoas.

A implantação da “Ciclomob”, com uma equipe de agentes ciclistas devidamente capacitados, objetiva também aproximar os agentes com os usuários das vias, melhorando consequentemente a prestação do serviço público, onde os demais ciclistas serão abordados e receberão orientações sobre as regras de circulação em vias de grande movimento. Portanto, para garantir a segurança viária, os agentes de trânsito da “Ciclomob” irão se fazer presente nas diversas Ciclofaixas, uma vez que, são breves espaços de tempo em que as motos e os carros transitam nesses locais reservados aos ciclistas.

O embrião desse projeto nasceu durante o Maio Amarelo, quando alguns agentes foram escalados para acompanhar o passeio ciclístico da campanha. Foi o primeiro teste do projeto, enquanto os agentes de bike pedalavam para providenciar o fechamento dos cruzamentos para a passagem dos ciclistas, outros iam em direção à próxima interseção, auxiliando inclusive outra equipe de motos, num trabalho que requer muita agilidade e eficiência e, de bikes, os agentes conseguiram atuar com muito mais rapidez, sendo elogiados por todos os participantes do evento.

O projeto, conta, por enquanto, com oito bicicletas e oito agentes ciclistas, que passaram por avaliação médica e capacitação técnica antes de guiar as bikes pela cidade, concentrados na realização de rondas nos diversos quilômetros de ciclofaixas e ciclovias, priorizando as de maior fluxo, com pontos base e de abordagens a condutores, ciclistas e pedestres para evitar o estacionamento de veículos nesses locais.

Com informações da Ascom

Selecionamos para você