Vereadores ameaçam deixar PSB

Os vereadores de João Pessoa, Tibério Limeira e Léo Bezerra, ambos do PSB, emitiram nota, nesta terça-feira (10), contra a decisão da Executiva Nacional do PSB de formar uma Comissão Provisória presidida pelo ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) na Paraíba. Eles não descartam deixar a legenda em decorrência da crise interna do partido.

Os parlamentares trataram como “desrespeitosa” aos “valores democráticos” a medida tomada pelo ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) de arrastar o processo interno à Executiva Nacional, com o movimento de cartas renúncias que destituiu o então presidente Edvaldo Rosas. “O gesto de desrespeito aos dispositivos estatutários e aos valores democráticos maculou a história deste projeto e empurra para longe o direito à livre opinião e ao exercício da autonomia”.

No texto, Limeira e Bezerra ainda reafirmam o compromisso com o governador João Azevêdo (PSB) e não descartam deixar o PSB. “Reafirmamos o nosso compromisso com os valores democráticos; reafirmamos a liderança do companheiro João Azevêdo e do governo que ele conduz; reafirmamos a necessidade de unidade do campo progressista num cenário de escalada do discurso conservador; e afirmamos, sem medo de errar, que se tais práticas antidemocráticas não forem revistas, a nossa permanência no partido ficará insustentável e o PSB poderá perder importantes lideranças”.

Abaixo, a nota completa dos vereadores Tibério Limeira e Léo Bezerra:

Em defesa da democracia no PSB

O desfecho dado pela direção nacional do Partido Socialista Brasileiro ao tumultuado e mal explicado processo de dissolução do Diretório Estadual da Paraíba foi o pior possível. A nomeação de uma comissão provisória, onde a maioria dos integrantes sequer foi consultada, é a demonstração inequívoca de que houve efetivamente uma intervenção promovida pela direção nacional do partido.

Pelo tamanho que tem a liderança do ex-governador Ricardo Coutinho, cujo legado político inclusive lhe credenciaria para ser presidente nacional do PSB, não havia a necessidade de ascender à presidência estadual na condição de interventor. Bastaria que, ao invés de agir nos bastidores, as pessoas que incentivaram a dissolução do diretório estadual pudessem garantir o exercício do debate e o respeito à democracia interna, sem a necessidade de uma crise exposta publicamente.

Num cenário onde as forças conservadoras se alvoroçam, a unidade do campo progressista deveria balizar a conduta dos agentes políticos. O gesto de desrespeito aos dispositivos estatutários e aos valores democráticos maculou a história deste projeto e empurra pra longe o direito à livre opinião e ao exercício da autonomia.

Reafirmamos o nosso compromisso com os valores democráticos; reafirmamos a liderança do companheiro João Azevêdo e do governo que ele conduz; reafirmamos a necessidade de unidade do campo progressista num cenário de escalada do discurso conservador; e afirmamos, sem medo de errar, que se tais práticas antidemocráticas não forem revistas, a nossa permanência no partido ficará insustentável e o PSB poderá perder importantes lideranças.

Tibério Limeira

Léo Bezerra

Vereadores – PSB

João Pessoa, 10 de setembro de 2019.

Com informações do Mais PB

Selecionamos para você