Prefeitos das maiores cidades do Estado, Romero e Cartaxo pensam diferente sobre sucessão em 2020

Os prefeitos de Campina Grande e João Pessoa, Romero Rodrigues (PSD) e Luciano Cartaxo (PV), pensam diferente sobre as eleições do próximo ano. Enquanto Cartaxo tem dito que o PV deverá ter candidato à sucessão na prefeitura pessoense, Romero diz que não necessariamente o PSD será a ‘cabeça da chapa’. Os dois, porém, dizem que irão dialogar com todos os partidos da base.

“O candidato pode não ou não ser do PSD. Se for, melhor. Eu vou trabalhar com mais estímulo, com mais motivação. Mas também pode ser de um partido da base aliada. Eu não posso restringir porque senão vou ficar limitado a discutir dentro do PSD”, comentou Romero, ao filiar no PSD o superintendente da STTP e filho de ex-prefeito, Félix Araújo Neto.

O movimento de Cartaxo, de afunilamento, pode resultar na escolha de nomes como os secretários Diego Tavares (Desenvolvimento Social) e Zennedy Bezerra (Desenvolvimento Urbano). Mas aparecem na lista também as secretárias Daniella Bandeira (Planejamento) e Socorro Gadelha (Habitação).

Já Romero possui no PSDB os nomes de maior densidade eleitoral em seu agrupamento, a exemplo do deputado Tovar Correia Lima e do ex-senador Cássio Cunha Lima. O atual chefe de gabinete, Bruno Cunha Lima, também está há tempos no páreo. Caso queira um nome de seu partido, Romero poderia indicar o deputado Manoel Ludgério ou um nome mais técnico, retirado prioritariamente de sua gestão.

Com Pleno Poder

Selecionamos para você